Eita como eu Amo meu NE minha geeeeente! É cada cenário lindo pra Casamento, que a gente tem…Casamento na Praia tá na lista dos queridinhos de Nina Lacerda…kkkkkkkkk!

O Final Feliz de Mari e Bernado foi um Destination Wedding, na Praia dos Carneiros, precisa nem dizer nada ne!

Acho lindo o sentido do Destination Wedding :) As pessoas se deslocarem quilômetros e mais quilômetros para viver com os noivos o dia mais feliz de suas vidas. Uma prova de amor de todos!

E que tal um Destination Wedding nas Maldivas hein, dá uma olhada aqui no Blog!

Por isso o clima é sempre tão especial.

Então bora conhecer um pouquinho da história de Mari e Bernardo:

Mariana, a paraense-pernambucana que morava no Acre. Bernardo, o mineiro-fluminense que morava no Paraná. Um relacionamento dividido entre o Paraná e o Rio Grande do Sul. Uma vida nova no Mato Grosso. Um casamento em Pernambuco.

Eu sou filha de mineiros, nasci no Pará e cresci em Pernambuco. Bernardo nasceu em Minas Gerais, mas foi criado no interior do Rio de Janeiro. Nos conhecemos em 2017. Nessa época, eu morava no Acre, em razão do meu cargo público. Bernardo, também por causa do seu cargo, morava no Paraná. Sempre nos perguntam como nossos caminhos se cruzaram. Essa história passa por muitos Estados e, por conta disso, no nosso casamento tínhamos amigos e familiares de 21 dos 27 Estados da Federação. O prelúdio da nossa história ocorreu em 2016. Eu morava em Rio Branco, no Acre, e estava aguardando a oportunidade de me remover para Recife/PE, onde meus pais moravam. Em Novembro de 2016 abriu o concurso de remoção e tinha uma vaga em Recife para mim. Fazia 4 anos que eu esperava por isso. Mas nos últimos 30 minutos do concurso de remoção, eu mudei de ideia e decidi não ir embora. Todo mundo ficou chocado, e nem eu entendia porque tinha decidido ficar no Acre. Mais tarde eu pude entender a razão de ter sido assim. Um ano depois, em novembro de 2017, eu tirei férias e viajei com minha família. Quando
retornei, ainda me sobravam 4 dias de férias e, então, decidi visitar meu querido amigo Adriano, que havia morado no Acre e tinha se mudado recentemente para Curitiba/PR. Adriano, em vez de me buscar, mandou um amigo de trabalho ir ao aeroporto. Esse amigo era o Bernardo, meu futuro marido. E Bernardo estava lá no aeroporto para me dar uma corona. Ele me deixou na casa do Adriano e disse que se eu fosse sair com Adriano mais tarde, ele iria
com a gente. E ele foi. E no dia seguinte também saiu conosco. E no outro também. E foi comigo e com Adriano da festa ao parque. Do bar ao museu. Até que meus 4 últimos dias de férias acabaram e eu voltei para o Acre. Aqui vou abrir um parêntese. No penúltimo dia da minha estadia em Curitiba, abriu novamente o concurso de remoção da minha carreira. Tinha vaga no Nordeste, mas como eu gosto muito de me mudar e estava com vontade de ir para um lugar novo, decidi me inscrever para uma vaga no Rio Grande do Sul. Fecho o parêntese. Então eu estava de volta ao Acre, aguardando o resultado do concurso de remoção e conversando com Bernardo pelo Whatsapp. Até que ele pegou um avião e foi parar lá… Um voo comprado em cima da hora, longo e caro. Chegou em Rio Branco, conheceu a cidade e me pediu em namoro! Aí tudo começou. E voou.  Me mudei para o Rio Grande do Sul. Morávamos em cidades diferentes (ele em Curitiba e eu em Porto Alegre) e viajávamos todo fim de semana para nos encontrarmos.
Bernardo fez o concurso pra outro cargo Público. Entre uma fase e outra do concurso nós noivamos, com apenas 10 meses de namoro. Saiu o resultado do concurso e ele foi aprovado. E então, me pediu para ir embora com ele para a nova cidade, que ainda não sabíamos qual seria. Eu fiz um pedido para trabalhar em regime de teletrabalho (home office). Começamos a preparar a mudança. Descobrimos que iríamos morar em Cáceres/MT. Pegamos nossas coisas,
entramos no carro e partimos. Paramos na casa da minha sogra, fizemos nossa união estável (3 meses depois de noivarmos) e fomos embora para uma vida nova lá no pantanal mato-grossense. 
E cá estamos. Casados. Sou imensamente grata a Deus. Tinha que ser o Bernardo. Todos os caminhos me levaram até ele e trouxeram-no até mim. Ele tinha que me buscar no aeroporto. Ele tinha que ir ao Acre me ver. Eu tinha que ir para Porto Alegre. Tinha que ter o MPF e o teletrabalho da AGU pelo caminho. Tínhamos que nos mudar para Cáceres. Tudo tinha que ter sido assim. E, graças a Deus, foi.

Estamos juntos há 2 anos. Noivamos com 10 meses de namoro, fizemos união estável três meses depois do noivado e já fomos morar juntos, e casamos alguns meses depois. Em resumo, casamos exatamente 2 anos e 8 dias depois de nos conhecermos.

Organizar um casamento a distância é difícil, mas tive assessoria da Paula Arcoverde, da Save The Date, e muita ajuda da Ana Flávia, da Ana Ferraz Cerimonial. O mais difícil foi lidar com pequenos fornecedores, que em geral não são organizados e erram muito as encomendas que fazemos.

Eu procurei fazer com que meus convidados sentissem que cada detalhe foi feito para bem recebe-los. E tudo ficou como eu imaginava. Tudo remetia aos diversos Estados onde Bernardo e eu havíamos morado e, ao mesmo tempo, trazia o regionalismo do Nordeste. A decoração estava linda. A festa era na praia, mas eu não queria um ar tropical. Eu queria decorações diferentes para a cerimônia e para a recepção, apesar de serem no mesmo lugar: a cerimônia eu quis bem romântica, suave e etérea e a festa, alegre, com muita cor e com ar de campo. O decorador captou com perfeição e criou dois ambientes diferentes, mas que se se harmonizavam. A festa foi muito boa. As bandas e a DJ fizeram com que a energia estivesse alta o tempo todo e o Bonecos de Olinda (que são novidade pra quem é de fora) coroou o final. Como cerca de 95% dos convidados eram de outros Estados, eles ficaram encantados com o paraíso que é Carneiros e com a festa que foi cheia de regionalismos.

Não se esqueçam de que o que faz o casamento ser um sucesso é a boa energia dos noivos, familiares e amigos. Tudo pode estar absolutamente impecável, mas o que faz os convidados saírem maravilhados da festa é energia entre as pessoas. E a noiva é a pedra fundamental disso. Enquanto a noiva estiver transbordando de alegria, dançando e curtindo, a pista de dança não se esvazia e a alegria prepondera do início ao fim. Então não se esqueçam: quer que
seus convidados aproveitem ao máximo? Então deixe que eles vejam e façam parte da felicidade dos noivos.

(Mari – Noiva)

Eles contaram com o apoio de vários fornecedores para que tudo saísse exatamente como sonharam, um deles foi a Di Branco, que ficou responsável pelo Buffet e realizou um serviço excepcional, como sempre :)

Simbora pras fotos, que estão um ARRASO!!

Mari e Bernardo, adorei o clima do Final de Feliz de vocês, realmente é uma energia diferente casar na Praia!

Desejo todo o AMOR do mundo para o Casal, que vocês possam curtir sempre cada momento juntos, cheios de cumplicidade e carinho :)

Beijos, Nina.

Local da Cerimonia e Recepção: Pousada Paraíso Carneiros | Cerimonial: Ana Ferraz Cerimonial | Assessoria: Save The Date | Buffet: Di Branco | Decoração: Anderson Barbosa | Bolo: Cake Hannouche | Doces: Benta Brigaderia | Iluminação e Som: JR Som e Luz | Vestido: White Hall Atelier | Make e Cabelo: Dayane Rocha | Acessório de cabelo: Seja como Flor e Maria Ribeiro | Fotografia: Flora Pimentel | Filmagem: Diego Guimarães.